Sérgio Aguiar destaca lançamento do primeiro Atlas Eólico e Solar do Ceará (primeiro expediente)

Sérgio Aguiar destaca lançamento do primeiro Atlas Eólico e Solar do Ceará (primeiro expediente)
4 de julho de 2019
O deputado Sérgio Aguiar (04/07) comemorou, durante o primeiro expediente da sessão plenária da Assembleia Legislativa desta quinta-feira (04/07), o lançamento do Atlas Eólico e Solar do Ceará. “O primeiro atlas híbrido de energia solar e eólica do Ceará, por meio do Governo do Estado”, assinalou.

O trabalho é uma demanda da Câmara Setorial de Energias Renováveis da Agência de Desenvolvimento do Ceará (Adece) e, conforme o parlamentar, será o ponto de partido para a atração de novos investimentos para o Estado.

O parlamentar explicou que o atlas é um documento de acesso público, direcionado a profissionais do setor de energias renováveis, que irá fornecer informações técnicas quanto aos recursos eólico e solar no Estado.

“O objetivo desse projeto é facilitar a identificação de áreas com bom potencial para geração de energia, a partir de fontes renováveis, além de dimensionar o potencial eólico e solar por região do Estado, aumentando assim a atratividade do Ceará para investimentos na área”, esclareceu.

Sérgio Aguiar explicou que o atlas, desenvolvido em parceria com Governo do Estado, Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec) e Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-CE), coloca o Ceará em destaque em relação a outros, quando se trata dos horários de pico na geração eólica, com o maior potencial de geração no final da tarde e início da noite.

“Esse é o diferencial do Ceará. O nosso pico de geração é no momento de maior demanda, enquanto  nos estados vizinhos ocorre mais na madrugada”, considerou. Ele explicou que o Ceará tem 79 projetos eólicos em  operação (2GW), cinco em construção não iniciada (115 MW) e 83 projetos cadastrados na Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), totalizando 2,2GW. Sérgio Aguiar disse ainda que o levantamento apresentado pelo atlas revela a possibilidade de construção de usinas offshore, com geração eólica em uma área de 10 mil quilômetros quadrados, onde a profundidade vai até 20 metros. Se forem consideradas as regiões com até 50 metros, a área passa para 19 mil quilômetros quadrados.

“O Ceará é privilegiado não só pelos ventos, mas pela sua plataforma continental que é de baixa profundidade. Entre os diferenciais de geração de energia no mar, em comparação aos parques terrestres, estão a velocidade e a constância dos ventos em diferentes horários do dia”, apontou.

Sérgio Aguiar destacou também o desempenho do Ceará no leilão de energia A-4, realizado na última semana. Segundo ele, o Estado deve receber, nos próximos anos, R$ 678.35 milhões em investimentos em energia solar para os cinco projetos aprovados na ocasião. Nesse segmento, há quatro em operação (137MW), 14 em construção (390 MW).

“O Ceará obteve o maior volume de aportes do País, com cinco projetos comercializados e potência de 163,7MW”, explicou. Ele frisou que, com o resultado, o Estado obteve 50,42% do potencial nominal no leilão.

“O Governo licitou projetos de energia eólica, solar, biomassa e pequenas centrais hidrelétricas. Do total de energia que vai ser contratada, mais da metade é do Ceará, com 80%, 20% de Minas Gerais”, informou.

Sérgio Aguiar afirmou que essa parceria entre Governo do Estado e empresas privadas pela implementação de uma nova matriz energética possibilitará o cuidado com o meio ambiente por meio da produção de energia limpa, assim como a adequação do Estado às  normas ambientais.

 

*Da Agência Assembleia