Sérgio Aguiar esclarece situação do consórcio de saúde de Cascavel (primeiro expediente)

Sérgio Aguiar esclarece situação do consórcio de saúde de Cascavel (primeiro expediente)
6 de Abril de 2018

O deputado Sérgio Aguiar (PDT) comentou, durante o primeiro expediente da sessão plenária da Assembleia Legislativa desta sexta-feira (06/04), a situação do Consórcio Público de Saúde da Região de Cascavel (CPSRCAS), que tem à frente o prefeito de Pindoretama, Valdemar Araújo.

De acordo com o divulgado pela imprensa cearense, Valdemar Araújo teria demitido todos os diretores do CPSRCAS para alojar aliados políticos nos cargos, e o consórcio hoje estaria falido.

Sérgio Aguiar leu nota de repúdio, liberada pela assessoria de comunicação do CPSRCAS, desmentindo a informação. De acordo com a nota, nenhum representante do consórcio foi procurado pelos veículos de comunicação que transmitiram a primeira notícia.

O parlamentar esclareceu também que não houve nomeação de aliados do atual presidente e que o consórcio não está falido. “É uma notícia completamente inverídica, visto que o CPSRCAS cumpre com todas as obrigações e ainda possui uma sustentabilidade financeira, que possibilitou a ampliação da oferta de serviços na Policlínica e no CEO do município”, disse.

Sérgio Aguiar informou ainda que a Unidade Básica de Saúde 3 (do município de Pindoretama) foi certificada para receber o Selo Bronze do projeto de Qualificação da Atenção Primária à Saúde (QualificaApsus Ceará).

O parlamentar afirmou que a Prefeitura de Pindoretama tem investido de maneira permanente na capacitação das equipes de saúde do município, assim como em ações que possibilitem a prestação de um atendimento melhor à população.

Sérgio Aguiar considerou que os consórcios de outros municípios não têm sido tão bem-sucedidos nos CPSRCAS, caso de Camocim e de Granja, onde as prefeituras municipais tiveram que assumir os custos das demandas em saúde. “É preciso atentar para que prefeitos, vereadores e gestores respeitem a legislação, tanto na área de licitação como no sentido de fazer com que a coisa pública tenha seu devido encaminhamento”, ponderou.

*Da Agência Assembleia