Sérgio Aguiar registra emancipação política de municípios cearenses (primeiro expediente)

Sérgio Aguiar registra emancipação política de municípios cearenses (primeiro expediente)
23 de março de 2018

O deputado Sérgio Aguiar (PDT) parabenizou, nesta sexta-feira (23/03), durante o primeiro expediente da sessão plenária da Assembleia Legislativa, os municípios de Frecheirinha, Martinópole e Uruoca, que comemoram mais um ano de emancipação política.

O parlamentar fez um relato histórico dos municípios que representa na Assembleia Legislativa e saudou lideranças das localidades. Frecheirinha comemora 63 anos de emancipação no próximo dia 25 de março Já Martinópole e Uruoca celebram 61 anos em 26 de março.

Segundo Sérgio Aguiar, a história de Frecheirinha começou num olho d’água, habitado por uma tribo provavelmente dependente dos Tabajaras, que moravam nos sertões e rios da zona norte do Ceará. A tribo era liderada por uma índia muito hábil no manejo da flecha. Em homenagem à indiazinha, a aldeia passou a ser chamada de Frexeirinha. “Daí surgiu a toponímia Frecheirinha, ou seja, nome adaptado do diminutivo de Flecheiras”, explicou.

Em 1933, Frecheirinha passou a integrar o município de Tianguá e, em 1937, retornou à jurisdição de Coreaú, então Palma. “Frecheirinha veio a emancipar-se politicamente pela Lei 1.153/1951, elevada assim à categoria de município. Em 25 de março de 1955 foi instalada a nova comuna”, relatou.

Martinópole se chamava Angica, conforme o deputado, e pertencia ao município de Granja. Sua formação tem raízes na construção da ferrovia Sobral/Camocim e consta como seu fundador o padre Vicente Martins, vigário paroquial da jurisdição. A condição de vila provém do Decreto nº 56/1933 e de município, da  Lei nº 3.560/1957. “Martinópole é uma cidade que faz divisas com cidades, como Uruoca, Senador Sá e Granja, e é bem localizada na zona norte”, destacou.

Já a história de Uruoca começa por volta de 1882, com a construção da capela dedicada à Nossa Senhora do Livramento, depois com a construção da ferrovia que ligava Camocim a Sobral, em 1892, desativada em 1977. A antiga estação está à margem da CE-362, transformada em um centro artesanal.

O município de Uruoca era conhecido como Riachão, por conta de um riacho que cortava a pequena vila e pertencia ao município de Granja, como distrito. No dia 30 de dezembro de 1943, por meio do Decreto-Lei nº 1.114, foi concedido o nome definitivo de Uruoca. Antes, porém, recebeu os nomes de Valdelândia ou Rochalândia, em homenagem a famílias importantes do povoado na época. Uruoca foi elevada à condição de município em 26 de março de 1957, conforme a Lei nº 3.560.

*Da Agência Assembleia