Sérgio Aguiar repudia memorando apresentado ao STF (primeiro expediente)

Sérgio Aguiar repudia memorando apresentado ao STF (primeiro expediente)
26 de outubro de 2017

O deputado Sérgio Aguiar (PDT) criticou, durante o primeiro expediente da sessão plenária desta quinta-feira (26/10), o documento apresentado pelo deputado Heitor Férrer (PSB) ao Supremo Tribunal Federal, com supostas denúncias contra os conselheiros. Segundo o parlamentar, o documento é “leviano e foi apresentado de forma injuriosa”.

Sérgio Aguiar destacou a matéria do jornal Diário do Nordeste que trata do assunto e afirma que o documento explica que “o TCM revisou diversas decisões judiciais para retirar gestores da lista dos “ficha suja”, beneficiando, por exemplo, prefeitos como de Camocim, Mônica Aguiar, esposa do deputado, Sérgio Aguiar, filho do conselheiro em disponibilidade, Francisco Aguiar”.

O deputado apontou que, desde 1947, a família dele tem cadeira na política e compromisso com a vida pública. “Não aceito que venham insinuar favorecimento tentando macular a imagem de meu pai. Não se pode dizer que Francisco Aguiar beneficie a mim ou a qualquer que seja”, assinalou.

O parlamentar enfatizou ainda que durante as votações da lei da prescrição dos julgamentos de contas nos tribunais, se absteve. “Me abstive para não dar razão para ninguém falar. Todos sabem que minha posição contrária a extinção do TCM não é por ter família na Corte”, disse.

Sérgio Aguiar pontuou também que a prefeita Mônica Aguiar teve contas julgadas em 2012 e não em 2013 como diz o documento. “É uma prova que o memorial é irresponsável e descarado”, criticou.

Em aparte, o deputado Joaquim Noronha (PRP) ressaltou a competência do parlamentar e da prefeita Mônica Aguiar como gestora em Camocim. O deputado Roberto Mesquita (PSD) se solidarizou com o parlamentar e afirmou ter orgulho do colega deputado.

O deputado Leonardo Araújo (PMDB) assinalou que tem grande respeito pela família de Sérgio Aguiar. “Esse dossiê foi irresponsável e, inclusive, expôs esse Parlamento”, lamentou. O deputado, Tin Gomes (PHS) também lamentou a apresentação do documento. “Tudo feito no TCM foi através de lei e não se discute”, pontuou.

A deputada Dra.Silvana (PMDB) destacou que a família do parlamentar é honrosa. “Tenho grande respeito pela sua família, principalmente pela prefeita Mônica que administra de mãos limpas”, disse.

Da Agência Assembleia*