Sérgio Aguiar aponta estudo que inclui municípios no semiárido cearense (primeiro expediente)

Sérgio Aguiar aponta estudo que inclui municípios no semiárido cearense (primeiro expediente)
20 de setembro de 2017

O deputado Sérgio Aguiar (PDT) destacou, durante o primeiro expediente da sessão plenária desta quarta-feira (20/09), o pedido de análise, realizado pelo Governo do Estado, por meio do Ministério da Integração Nacional e do Conselho Deliberativo da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), dos níveis de semiaridez de 10 municípios cearenses. De acordo com o parlamentar, a inclusão desses municípios no semiárido é fundamental para o desenvolvimento econômico.

A análise técnica será feita pela Fundação Cearense de Meteorologia (Funceme) e vai percorrer os municípios de Barroquinha, Bela Cruz, Camocim, Chaval, Guaiúba, Jijoca de Jericoacoara, Itarema, Cruz, São Gonçalo do Amarante e Trairi.

Sérgio Aguiar considerou que os limites municipais não equivalem aos climáticos, podendo um município dispor de mais de um tipo de clima. “Alguns, mesmo começando no litoral, entram no continente, estendendo-se até as depressões sertanejas”, lembrou.

Entre as vantagens possíveis, com a inclusão desses municípios no semiárido, o deputado apontou as taxas de juros menores para quem busca empréstimos junto ao Banco do Nordeste, assim como a facilitação na renegociação de dívidas.

Ele informou também que esses municípios possuem diversas áreas de vulnerabilidade, principalmente no tocante à distribuição de água. “Municípios que não figuram no semiárido não são abastecidos pelos carros-pipa. Lembro aqui que o Ceará, em estudos mais antigos, foi considerado como parte do semiárido em sua totalidade, e não apenas um outro município, e nada mudou desde então”, disse. O parlamentar ressaltou a necessidade de incluir todos os municípios no semiárido.

Em aparte, o deputado Manoel Duca (PDT) informou que o Governo do Estado já autorizou a avaliação do estudo sobre os 10 municípios e frisou a importância de sua inclusão no semiárido cearense. “Alguns municípios são vetores econômicos do nosso Estado, então precisamos ajudá-los, tornando-os competitivos e prestando auxílio à população”, disse.

Da Agência Assembleia*