Sérgio Aguiar elogia decisão que reintegra prefeito de São Benedito

Sérgio Aguiar elogia decisão que reintegra prefeito de São Benedito
20 de junho de 2007

O deputado Sérgio Aguiar (PSB) fez pronunciamento nesta quarta-feira (20/06), na Assembléia Legislativa, para elogiar decisão da Justiça Eleitoral que reintegrou Haroldo Celso Cruz Maciel ao cargo de prefeito de São Benedito. Na mesma oportunidade, também disse que foi feita “justiça com jota maiúsculo”, com o afastamento do prefeito de Chaval.

O parlamentar explicou que a população de São Benedito, na última quarta-feira, foi surpreendida por ação da Câmara Municipal que extinguiu o mandato de Haroldo Celso Cruz Maciel, por improbidade administrativa.O processo teria sido sumário, sem oitiva de testemunha ou possibilidade de defesa, informou.

“A Prefeitura ficou em boas mãos, com José Mardônio da Costa, mas Haroldo Celso entrou com mandato de segurança e, ao ser examinado o processo, a justiça teve o cuidado de ouvir os reclamos das ruas de São Benedito e resolveu reintegrar Haroldo”, disse Sérgio Aguiar.

Conforme explicou o deputado, a decisão de reintegrar o prefeito coube à juíza Antônia Rodrigues Feijão, por meio de liminar. “A Justiça restabeleceu o mandato confiado pela população de São Benedito. Registro que a população foi às ruas na última segunda-feira comemorando o retorno do seu gestor”, frisou.

O deputado Lula Morais (PCdoB), em aparte, afirmou que o prefeito denunciou que, às vezes, para se manter no mandato seria preciso beneficiar vereadores, além do devido. O parlamentar disse ainda que Haroldo Celso foi seu amigo de infância no bairro Papicu, em Fortaleza.

Sérgio Aguiar elogiou também a decisão do TRE, que, por meio de processo movido pelo Ministério Público Eleitoral de Chaval, decidiu por unanimidade pela cassação do mandato do prefeito daquele município, Joécio de Almeida Ângelo, mantendo a decisão que havia sido tomada pela Justiça singular. Segundo o deputado, Francisco de Assis Brandão Meirelles vai assumir o cargo de prefeito, o qual já havia ocupado em 2005, mas “alguns correligionários lhe deram as costas e em 48 horas o mandato foi devolvido a Joécio”, afirmou.

Sérgio Aguiar explicou que o prefeito afastado foi condenado por captação ilícita de sufrágios e abuso de poder. “Após a publicação do acórdão a população vai ter o prefeito que realmente merece. Para se ter uma idéia, 70% dos recursos do FPM estavam bloqueados para pagar os servidores”, acentuou.

O deputado Osmar Baquit (PSDB) disse estar surpreendido com as afirmações de Aguiar. Ele achou estranha sua afirmação, segundo a qual o prefeito agora empossado pelo TRE, em Chaval, teria sido abandonado por companheiros anteriores e por isso a Justiça teria andado lenta . “E agora que tem gente do lado dele, tudo se resolve em 48 horas”, ironizou. Baquit afirmou ainda que Sérgio Aguiar também atrasou salários, quando foi prefeito em Camocim. Baquit informou que o prefeito afastado vai recorrer da decisão,que considera esdrúxula.

Segundo ele, integrantes do TRE, em casos semelhantes, votaram de forma diferente, como aconteceu com Chaval. E citou o caso de uma desembargadora que deu voto diferente no julgamento de Ibaretama, que, na sua opinião, é semelhante ao de Chaval. “É a mesma pessoa votando diferente em duas oportunidades”, comentou.

Em resposta, Sérgio disse até admitir que haja frustração. “Mas não admito que haja patrulhamento ideológico da conduta de juiz. Aplaudo a decisão do TRE e quem vai sair ganhando é a população”, concluiu Aguiar.
JS

Fonte: Coordenadoria de Comunicação Social
comunicacao@al.ce.gov.br